Entrevista com Margaret Stohl e Kami Garcia

O site The Story Siren  entrevistou as autoras. Veja abaixo a tradução, e clique aqui para ver a entrevista original.

Margaret Stohl: A série Beautiful Creatures é de Kami Garcia e Margaret Stohl. Beautiful Creatures (Dezesseis Luas) foi o nosso primeiro livro, seguido por Beautiful Darkness (Dezessete Luas). Beautiful Chaos será lançado em 18 de Outubro. A série… está em 27 línguas e 30 países?

Kami Garcia: Trinta e nove países e 28 línguas.

Margaret Stohl: Então, nós tivemos uma recepção global positiva à fantasia que nossos antecessores aproveitaram antes de nós.
É um romance gótico sulista que ocorre nos entornos de Charleston, Carolina do Sul. Charlestone se tornou nossa casa literária nos Estados Unidos. É um narrador masculino, Ethan, que conta a história de uma garota misteriosa, Lena, que chega a cidade, que não se encaixa no status quo da pequena cidade de Gatlin onde tudo é escondido em plena vista e nada é o que parece.
Lena é de uma família que foi almadiçoada com poderes sobrenaturais chamados de Conjuradores, desde antes da Guerra Civil. E ela, no seu 16º aniversário, se tornará boa ou má sem controle algum  e sem vontade, dependendo se podem ou não Ethan e Lena fazer algo para impedir.
Então, esse é o gótico sulista, muitos tipos de sobrenaturais, cidade pequena, garoto conhece garota, contada a partir de uma perspectiva masculina, que resulta na nossa série. Como eu fiz isso?

Kami Garcia: Muito bem, Marg.

Margaret Stohl: Obrigada.

Kristi: Olá Kami. Oi Magie.

Kami Garcia: Oi querida. Como está?

Kristi: Como está?

Margaret Stohl: Olá.

Kristi: Ótima.
Certo. Então, minha pergunta é… deixe-me ver. Eu tenho algumas. Ok.
Vocês têm o terceiro romance sob seu cinto agora. Como o seu processo de escrita mudou ? Tenho certeza que vocês acharam algo que funciona para vocês e certos hábitos. Então, o que não funciona para vocês? O que vocês mudaram? E o que vocês ainda fazem que faziam antes de tudo?

Kami Garcia: Estranhamente, ele realmente não mudou, porque eu acho que já nos deparamos com o nosso tipo de processo de escrita acidentalmente e funcionou para nós, é como se diz: não se conserta o que não está quebrado. Estamos com medo de mexer com isso agora. Continuamos a delinear em conjunto e, em seguida, passar capítulos frente e para trás e reescrever o trabalho uma da outra.
Mas, eu acho que a principal coisa que mudou é provavelmente o quanto somos duras somos com as palavras, quer seja com nossa escrita ou com a de outras pessoas. Eu acho que aprendemos muito sobre o processo de edição com nossa editora, Julie Sheina, que agora somos editoras exigentes nós mesmas. E quando eu estou enviando coisas para Margie e ela está me enviando coisas, eles ficam muito mais limpos, apesar de que fique claro que ele não fica como ele é quando você vê na livraria. Eles ainda precisam de ajuda.

Margaret Stohl: Nós escrevemos o primeiro livro em 2008 e foi publicado em 2009. Minha filha mais velha, que nos incentivou a escrever o livro, sairá do colégio no outono. Minha filha do meio, que ficou conosco em casa para editar ele, entrará no seu ano como caloura e certamente não poderá ser incomodada. E minha filha mais noxa, que tinha cerca de 5 anos na época, tem 10, e suas amigas estão lendo os livros.

Kami Garcia: E minha filha acabou de completar 4 anos. E nós tivemos a idéia do livro em um restaurante que nós amamos. E ela tinha 3 meses enquanto nós o escrevíamos em guardanapos.

Margaret Stohl: Ela tinha acabado de ter neném.

Kristi: Nossa!
Margaret Stohl: Então, uma coisa que aconteceu foi que nós vimos foi a série amadurecer. Nós prestamos atenção a nossos leitores, as mudanças ainda dentro do pequeno núcleo de nossas meninas Conjuradoras e as pessoas que são nossos primeiros leitores- as pessoas a quem escrevemos.
E tem sido muito, muito interessente ver todas as idades, pois realmente é um livro para todas as faixas etárias. É sempre assustador lembrar que temos pessoas desde 10 anos até avós lendo nossos livros. Realmente temos. Temos desde homens que gostam da história da Guerra Civil do Sul, e sempre tivemos um número tremendo de homens nos eventos que ocorrem no Sul. E nós temos o jovem e o velho.
Então, tem sido ótimo, mas estamos definitivamente sentindo os anos. E estamos super nostálgicas neste momento, pois acabamos de começar a revisar mas acabamos de escrever nosso último livro. E tem sido inacreditável o fim da jornada desses personagens.

Kristi: É difícil? Vocês estão tristes?

Kami Garcia: Oh, sim.

Margaret Stohl: Sim.

Kami Garcia: É triste.

Margaret Stohl: Nós duas choramos.

Kami Garcia: É muito triste.

Kristi: Certo. Bem, muito obrigada.

Margaret Stohl: Obrigada, Kristi.

Kristi: Ok. Não é bem relacionado à escrita, mas a série possui alguns fãs intensos, como todas as Caster Girls enlouquecem e tudo mais. Qual foi a coisa mais louca que um fã já fez por vocês?

Kami Garcia: Nós temos algumas coisas bem legais. Não sei qual a mais louca. Tem um rapaz francês que escreve em todos os álbuns. Ele é um DJ. Ele está na página do Facebook direto, e ele faz diferentes álbuns de música eletrônica para cada capítulo de cada livro, o que obviamente é um trabalho que leva bastante tempo de comprometimento.

Kristi: Nossa.

Kami Garcia: E tem outro músico que não coloca suas músicas de graça porque ele tem um álbum. E ele tem, duas músicas que ele mandou para nós que ele disse que foi inspirado por Beautiful Creatures.
Uma coisa que eu amo é que muitas pessoas começaram a fazer a sua própria versão do colar da Lena, o colar que um de nossos personagens principais usam. E eles terão seus próprios amuletos que terão um significado para eles. É muito, muito legal ver o que as outras pessoas colocarão em seu colar que são coisas especiais para eles.
Na Espanha quando saímos em turnê, nós tivemos um evento e todas as garotas  vieram participar de um concurso e elas todas fizeram colares. Margie e eu nem sabíamos disso, pois claramente havia a barreira da linguagem.

Kristi: Isso é ótimo.

Kami Garcia: Margie foi um prêmio. Esse tipo de exagero.

Kristi: Você foi um prêmio?

Margaret Stohl: Eu fui um prêmio, é.

Kami Garcia: Conte para eles, Margie. Como diz sua filha e como você diz para suas filhas, todo dia com você é um prêmio.

Margaret Stohl: Eu sei. Minhas filhas nunca acreditam nisso. Minhas filhas nunca acreditam quando alguém quer falar conosco sobre nós.

Kami Garcia: Não, eu realmente me tornei menos legal por sua causa, Marg, com as garotas. Você arruinou isso para mim.

Margaret Stohl: Sim, eu realmente fiz.
Nós temos grandes responsabilidades, e eu passo mais tempo com nossos fãs internacionais por que eu viajo mais. Eu tenho muito tempo com fãs que vêem de muito longe para a França e Itália. E como a Kami disse, nós tivemos bastante diversão na Espanha. Nós adoramos nosso publicitário Alemão.
Nós realmente temos gasto tempo em scrapbooks, e em interpretações de poesias e diferentes cartazes de filmes falsos e aquilo que eles fizeram. Tem sido muito divertido.

Kristi: Obrigada.

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s